quinta-feira, 26 de maio de 2011

Tenente refuta declarações de cabo preso por "não prestar continência"

Tenente refuta declarações de cabo preso por "não prestar continência"
Da Redação - Alline Marques
Foto: Reprodução

Os advogados da 2º tenente Poliana Keila Candida Sobrinho Simões, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, envolvida na prisão do cabo Júlio Cesar Lopes da Silva, informou que as informações prestadas pelo cabo não representa a realidade dos fatos ocorridos. Em nota, eles explicaram ainda que farão questão da completa apuração dos fatos e deverão buscar à justiça para reparar os danos "injustamente sofridos".

O cabo, em entrevista ao Olhar Direto, informou que havia sido detido no 1º Batalhão por não ter prestado continência à tenente, que havia entrado no refeitório no momento em que tomava café da manhã, após o plantão noturno.

Os advogados que representam a tenente são Zoroastro Teixeira e Raphael Arantes.

Confira íntegra da nota enviada pela defesa da tenente:


A 2º tenente Poliana Keila Candida Sobrinho Simões, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, por intermédio de seus advogados, Zoroastro Teixeira e Raphael Arantes, vem a público registrar e esclarecer que:

- A matéria veiculada na mídia com o título "Cabo preso por não prestar continência a uma tenente", no site www.olhardireto.com.br, não representa a realidade dos fatos ocorridos, ao contrário, faz ilações inverídicas e levianas sobre sua conduta funcional, denegrindo, inclusive, a Instituição Corpo de Bombeiros, à qual tem a honra de pertencer - ferindo o trabalho desenvolvido pelos demais componentes da instituição.

-Deixa claro e aberto que em sua ficha funcional nada consta sobre qualquer registro ou mácula de qualquer natureza e, extremamente constrangida com a versão criada e divulgada por um cabo do Corpo de Bombeiros, faz questão da completa apuração dos fatos, para comprovar a legalidade dos seus atos.

- Apurados os fatos, restabelecida a verdade, a tenente adotará, por meio de seus advogados, todas as medidas judiciais cabíveis na busca da reparação dos danos injustamente sofridos.

EXTRAÍDO DE: http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=Tenente_refuta_declaracoes_de_cabo_preso_por_nao_prestar_continencia&id=179239

12 comentários:

  1. Esta tenente deveria procurar serviço e não querer prejudicar seus subordinados por causa de uma porcaria de continencia,este militarismo bobo tem que acabar.

    ResponderExcluir
  2. Francamente, eu ñ entendi, de vilã a Tenete tá querendo passar à mocinha. Pois, fique sabendo Tenete, o Cb tbm tem seus direitos constitucionais e institucionais, tenho certeza, se ele ganhar a causa vc vai custiar os danos tbm...

    ResponderExcluir
  3. Vamos nos posicionar após a apuração dos fatos. Mais desde já sabemos o que vai ocorrer: Quem vai apurar 1 oficial, que vai buscar a farinha para o prato da oficial.
    O comandante vai dizer que o culpado (cabo) será punido com rigor. E more por terra a apuração, quando envolve praça e oficial sempre sobra para o praça. Tudo igual em todos os estados do brasil.
    Digo sim fim do militarismo nas policias do brasil para acabar de vez com os absurdos cometidos pela ditadura dos quartéis, que não acabou com o fim da ditadura em 86.

    ResponderExcluir
  4. tenente, tenente,cade a humildade,é assim que se faz com um colega de farda;aquele que estara´ao seu lado nas horas mais complexas.

    ResponderExcluir
  5. Duvido muito que este pobre cabo consiga provar alguma coisa. Já fui cabo, aconteceu algu semelhante comigo, e advinhem! tomei na "tarraqueta"

    ResponderExcluir
  6. ESSE CABO QUER É ACABAR COM O MILITARISMO QUE JA EXISTE A MAIS DE 1000 ANOS, SÃO AS UNICAS INSTITUIÇOES QUE FUNCIONA NO BRASIL. TA ACHANDO RUIM PEDE PRA SAIR.

    ResponderExcluir
  7. Isso é que dá colocar esses paisanos direto no oficialato. Ainda tá viciada com academia. Se quer assim volte para lá. Não sabe que o militar tomando refeição não tem como ficar prestando continência, onde está os pricinpios desta oficial? Será que continência de que está se alimentando enche barriga de que a recebe?
    Faço votos que este praça ganhe e que seja indenizado por todo esse constrangimento.

    Que os responsáveis pela sindicaância, sejam justos e não puxem a sardinha para a ten, se acobertarem uma covardia desse é porque também pensam do mesmo jeito e farão assim também.

    ResponderExcluir
  8. O MILITARISMO SO FUNCIONA PRA ALGUNS, ESSE É O PROBLEMA, O REGULAMENTO TAMBÉM, SE NAO TE PEGAM NO REGULAMENTO, TE PEGAM EM OFF. FORA O CORPORATIVISMO COM OS OFICIAIS.

    ResponderExcluir
  9. 1000 anos! O que é velho deve dar lugar ao novo.

    ResponderExcluir
  10. Antes da apuração, já estão criando um "pré-conceito". Ora gente, cadê a "humildade" de vcs que estão comentando sem nem saber nada dos fatos verdadeiramente?
    Não diz na Lei, que "ninguém é considerado culpado antes de ter sido transitado em julgado". Um dos dois vai ter razão. Não passem o carro na frente dos bois. O que temos agora e de nos unirmos mais para o Governo sentir que todos somos unidos e não vamos aceitar nos enrolar quanto ao aumento salarial.
    Como todos estão comentando anonimamente, tbm o farei, apesar de não concordar com isso.

    ResponderExcluir
  11. BOM COMPANHEIRO, ACREDITAVA EM VOCE QUANDO SE DIZIA DEFENSOR DOS NOSSOS DIREITOS, MAS O QUE ACONTECEU QUE VC COMEÇOU A PENSAR NO SEU UMBIGO E ESQUECEU DA CORPORAÇÃO....TRISTE MAS É VERDADE VC SÓ QUER APARECER E SE CANDIDATAR.

    ResponderExcluir
  12. É sempre a mesma coisa...se tem oficial no meio tentam dar um jeitinho de culpar um praça, por mais certo que este esteja. Isso só vai acabar com o fim desse militarismo esdrúxulo nas corporações estaduais. Militarismo é para o exército que lida com pessoas de todas as estirpes sem formação ou estudo. Às polícias e corpos de bombeiros cabe uma instituição civil, sem máculas e sem essas injustiças que sempre acontecem no militarismo.

    ResponderExcluir