segunda-feira, 22 de novembro de 2010

REPRESENTATIVIDADE POLÍTICA DOS MILITARES

REPRESENTATIVIDADE POLÍTICA DOS MILITARES
* Cláudio Cassimiro Dias



Temos assistido nos últimos tempos, nos últimos pleitos eleitorais um grande numero de candidatos militares concorrendo as vagas na Câmara Municipal, Assembléia Legislativa, Câmara Federal e Senado.

Existem aí, duas possibilidades e dois ângulos de observação, quais sejam, por um lado, o despertar da consciência política com grande número de candidatos aos cargos políticos, porem, por outro lado, o grande numero de candidatos que acaba por desfragmentar a possibilidade de elegermos candidatos militares.

Isso ocorre, por um motivo muito simples, cada candidato consegue um número, muitas vezes expressivo de votos, e não se elege, por faltar votos que muitas das vezes, outro candidato, também com numero expressivo de votos, tem os votos necessários para eleger um candidato e termina por não eleger nenhum candidato.

Falta uma maior consciência política no que diz respeito a representatividade política dos militares. Há que se levar em consideração, que quanto as candidaturas é um direito do pretendente ao cargo político se candidatar, mas o que falta é a coragem de abrir mão de sua candidatura em prol do pensamento coletivo. Enquanto o numero de candidatos militares for o que tem sido apresentado, certamente e infelizmente, não elegeremos candidatos militares.

Em Minas Gerais a reeleição do Deputado Sargento Rodrigues salvou a representação dos Militares no cenário estadual, posto que se não fosse assim, os militares estariam agora, sem um representante que veste farda.

Há que se considerar que existem muitos deputados civis que se interessam e brigam pelos interesses dos militares, até porque, isso reflete na prestação da segurança publica. Mas, ter militares como representantes legítimos, faz sem duvidas, a diferença.

Nesse ultimo pleito eleitoral, tínhamos o nome do Subtenente Gonzaga como um dos candidatos fortes a ser eleito a Deputado Federal, isso em virtude da experiência adquirida no decorrer dos anos, como nosso representante e Presidente de Entidade de Classe, participação maciça em reuniões e atos de interesse dos militares e da segurança publica de nosso estado.

Ocorre que muitos militares que ainda não reuniam as condições e mesmo preparo para assumirem um cargo político, se candidataram e obtiveram até uma votação expressiva devido as coligações e momento político, ou por estarem a frente de associações e entidades representativas de classe, e com esse pensamento de certa forma egoísta selaram o infortúnio de não elegermos candidato na esfera federal e somente o sargento Rodrigues na esfera estadual.

Sinto dizer, mas os militares estaduais perderam uma oportunidade impar de eleger representantes em todos os níveis. Temos de agir com a razão e fazer com nossos colegas militares se dispam de sentimentos egoístas e egocentristas, para que nos pleitos vindouros possamos eleger candidatos militares preparados e imbuídos no bem estar social.

A todo momento não podemos perder de vista que como cidadão, qualquer do povo pode se candidatar ao cargo eletivo, respeitados os dispositivos normativos. Mas, já é hora de concientizarmo-nos que temos condições de eleger até mesmo um governador de estado, muitos vereadores, deputados estaduais e federais.

Quando houver a próxima eleição, que nos reunamos e discutamos quais os candidatos podem nos representar politicamente, mesmo que alguns tenham de abrir da mão da pretendida candidatura, certamente, o coletivo ganhará com a escolha em prol do todo.

Fica um tema para reflexão: O que podemos fazer para melhorar a segurança pública, através de nossos representantes no cenário político nacional?


* CLAUDIO CASSIMIRO DIAS, Especialista em Criminologia, Bacharel em Direito, Bacharel em Historia, Acadêmico Efetivo Curricular da Academia de Letras João Guimarães Rosa da Policia Militar de Minas Gerais, Pesquisador da Historia Militar e palestrante.

Um comentário:

  1. OS ALIADOS TROUXAS, AINDA NEM PERCEBERAM QUE DILMA VAI FAZER O MESMO QUE LULA, ELA MANDA, ELA ENCARREGA A BASE A APROVAREM LEIS IMPOPULARES E CAI FORA DO PAIS, ASSIM VIAJANDO A MIDIA NÃO A DESGASTA E QUEM QUEIMA O FILME SÃO OS BABACAS DOS DEPUTADOS, SENADORES E GOVERNADORES ALIADOS QUE SÃO OS QUE APROVAM LEIS FERRANDO O POVO, ELA NA VOLTA DAS VIAGENS EM SIGILO ASSINA TUDO. KKKKKK
    ESPEREM E VERÃO DAQUI QUATRO ANOS VAMOS COLOCÁ-LOS NAS LISTAS DOS INIMIGOS DO POVO.
    SOMOS OS 44% + 22% QUE SE ABSTIVERAM (+ VOTOS NULOS E BRANCOS),QUEREMOS OPOSIÇÃO JÁAAA.

    ResponderExcluir