quarta-feira, 7 de outubro de 2009

EMBARGO dos EUA contra o desenvolvimento do Brasil nas áreas de tecnologia aeronáutica, espacial e defesa

EMBARGO dos EUA contra o desenvolvimento do Brasil nas áreas de tecnologia aeronáutica, espacial e defesa. Transferência de tecnologia militar do caça F-18 SUPER HORNET para o Brasil no F-X2 ? Este vídeo é esclarecedor.Comando Geral de Tecnologia AeroespacialCTA - Ciência e Tecnologia para a Defesa Nacional Brigadeiro Engenheiro Venâncio Alvarenga Gomes (Subdiretor de Empreendimentos) 62º FPB - Fórum de Debates Projeto Brasil - Tecnologia Militar Evento realizado em 17/12/2008 em São José dos Campos - SP► P&D: PESQUISA E DESENVOLVIMENTO (Investimento & Retorno)"É consagrado, no mundo inteiro, que, cada valor, cada dólar investido em desenvolvimento aeroespaciais, retorna aumentado de 7 a 15 vezes em benefícios para toda a economia nacional." "O faturamento já contratado pela EMBRAER equivale a 900 anos (nove séculos) de funcionamento do ITA." * 150 mil dólares por quilo foi pago aos EUA pelo Brasil para colocarem em órbita dois satélites, enquanto 1 Kg da aeronave brasileira ERJ-145 custa mil dólares. ► EMBARGOS IMPLÍCITOS E DIFICULDADES NO SETOR DE DEFESA- MAR-1 anti-radar (Embargo); - MAA-1 míssel, sensor infravermelho (EUA engana o Brasil, altera sensor solicitado e fornece com características bem inferiores); - MAA-1B míssel, detector (Embargo)- F-5 caça supersônico, modelamento aeroelástico (Americanos não forneceram dados de ensaio/modelo). [Cadê a transferência de tecnologia? Não forneceram para o velho F-5, imagine para o F-18]► BLOQUEIOS NO SETOR ESPACIAL- Política de não-proliferação norte americana PROÍBE apoio ao programa de foguetes de sondagem brasileiro; - Tubos-Motores do VLS, tratamento térmico em aço especial 300M (Embargo); - Sistemas inerciais para aplicações espaciais (Embargo. Não fornecem sistema de navegação para lançadores de satélites e bloco girométrico para controle de altitude para satélites em órbita)- Circuito integrado do girômetro da plataforma inercial (Embargo no fornecimento de componente essencial); - Metalização do veículo lançador de satélite (EUA cancelou contrato na fase final de contratação). ► EMBARGOS E DIFICULDADES NO SETOR AERONÁUTICO - EGIR ( Embedded GPS, Inertial and radar altimeter ), restrição para importação do sistema inercial usado nos programas ALX, F5BR e A-1 modernizado. - LN100 G, sistema inercial/GPS. DoS impôs novas ressalvas de exportação. ● RESUMO: Os EUA costumam dificultar, proibir/vetar, cancelar contratos e mudar repentinamente a política de exportação de produtos de alta tecnologia, gerando incertezas no desenvolvimento de tecnologia no Brasil. ● Adendo deste canal: O governo americano de George Bush proibiu a empresa brasileira Embraer de vender 36 aeronaves de caça Super Tucano para a Venezuela em 2006, num negócio de US$ 470 milhões."EUA NÃO TRANSFERE TECNOLOGIA" é a frase mostrada no final deste vídeo, com um caça americano Boeing F/A-18E/F Super Hornet ao fundo, que surpreendentemente conseguiu ser um dos três finalistas do programa FX-2 da FAB prometendo transferência de tecnologia, mesmo com os diversos casos concretos de embargo norte americano contra o desenvolvimento tecnológico do Brasil.Os 5 últimos modelos de caças supersônicos selecionados para disputar o FX-2 foram: Dassault Rafale (França), Saab Gripen NG (Suécia), Boeing F/A-18E/F Super Hornet (EUA), Eurofighter Typhoon (Europa) e Sukhoi Su-35BM (Rússia).O projeto F-X2 do Ministério da Defesa/Comando da Aeronáutica visa o desenvolvimento de um caça brasileiro de quinta geração, como parte de um planejamento estratégico de longo prazo, e efetuou os procedimentos para aquisição de aeronaves de superioridade aérea (interceptação, defesa e ataque) a serem incorporadas ao acervo da Força Aérea Brasileira. Os dados provenientes das empresas participantes foram avaliados de forma sistêmica, considerando aspectos referentes às áreas operacional, logística, técnica, Compensação Comercial (offset) e transferência de tecnologia para a Indústria Nacional de Defesa. O conjunto de conhecimentos e capacitação tecnológica adquiridos nesta aquisição irá contribuir para que o Brasil tenha condições de produzir ou participar da produção de caças de 5ª geração em um futuro de médio e longo prazo.

3 comentários:

  1. Pessoal achei muito bacana esse vídeo, muito interessante. Gostaria de solicitar a permissão de vocês para clocar o áudio no meu progama "Ataque&Defesa" em minha rádio Web www.radioras.com.br Todas as terças e quintas às 21h e 30min.
    Fernândo Ravara
    Apresentador o ATq&Df

    ResponderExcluir
  2. O vídeo fora produzido por BrazilNation, brazilnation@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Caros amigos, enquanto o nosso país continuar navegando rumo as aguas das maiores ditaduras do planeta, estaremos sujeitos aos tratamentos diferenciados. Na ótica estratégica agora somos um vetor em potencial para vazamento de tecnologia para países do eixo do mal.

    ResponderExcluir