quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Em busca de canal de negociação, Major Fábio pede audiência com o governador Maranhão

Em busca de canal de negociação, Major Fábio pede audiência com o
governador Maranhão"Não quero os Policiais e Bombeiros decepcionados
novamente com o governador da Paraíba".

O deputado federal Major Fábio (DEM-PB), já apresentou três
solicitações de audiências para discutir a situação da Polícia Militar
da Paraíba com o governador José Maranhão, porém o chefe do executivo
paraibano não se manifestou sobre os pedidos do deputado federal que é
relator da PEC 300.

A Proposta de Emenda a Constituição que busca a equiparação dos
salários dos Policiais e Bombeiros Militares com o Distrito Federal.

A intenção do Major Fábio é abrir um canal de negociação. O
parlamentar lamentou a postura do atual governador que não respondeu
suas solicitações. "Nós queremos uma audiência para discutir a
gratificação de risco de vida. Não é o deputado federal, é o soldado
da Polícia Militar da Paraíba, que na companhia dos representantes das
Associações querem uma audiência com o governador para debater um tema
tão importante".

De acordo com o Major Fábio, o atual governador não aprendeu com os
erros cometidos no passado. "Os tanques de guerra utilizados no
passado pelo governo Maranhão, para conter a greve da Polícia Militar
ainda estão na memória de todos os Policiais e Bombeiros Militares.
Talvez quem os convocou tenha esquecido, mas quem sofreu aquele
momento constrangedor não esquecerá jamais", reportou-se o Major
Fábio, que já recebeu centenas de e-mails dos Policiais em busca de
informações sobre o resultado da audiência.

-Sobre a audiência não tenho o que dizer aos Policiais paraibanos,
pois não obtive sequer uma resposta do governador.

Para o Major Fábio, 'o governo se prevalece do fato da Polícia Militar
e o Corpo de Bombeiros não poderem deflagrar greves'.

O deputado também chamou atenção para o crescimento dos indicies de
violência na Paraíba. "Apesar do esforço dos Comandantes, delegados e
agentes da Polícia Civil e Militar, a violência tem crescido na
Paraíba. Chegou a hora de buscar novas alternativas para a segurança
pública do nosso estado", pontuou o Major.

O parlamentar apresentou sua solidariedade e apoio aos Policiais Civis
que estão em greve no estado.

Extraída de: http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20091028155749

Um comentário:

  1. Greve da BM por aumento surge no horizonte do Piratini
    Paralisação dos policiais militares pode começar na próxima semana
    Bastou os poderes mandarem projetos de reajuste salarial à Assembleia Legislativa para categorias com os salários mais baixos no Executivo retomarem a ofensiva contra o Palácio Piratini. Um dos segmentos, que intensificou o barulho e preocupa a governadora Yeda Crusius, é a Brigada Militar.

    Se Yeda não apresentar um projeto de reajuste salarial até o final da semana, líderes dos brigadianos ameaçam organizar greve a partir da próxima semana. Mesmo que esse movimento seja proibido na BM, a avaliação é de que há precedentes, na Bahia e no Rio, justificados pela situação crítica da corporação.

    – A situação salarial é grave e pode nos levar a isso. Vamos nos mobilizar fortemente. Sempre há prejuízo (ao cidadão), mas temos a esperança de que o governo resolverá – relatou o coronel Jorge Luiz Prestes Braga, presidente da Associação dos Oficiais da BM.

    À frente da Associação dos Servidores de Nível Médio da BM, o soldado Leonel Lucas reclama que os vencimentos são os menores do Brasil. Na quarta-feira, ele percorreu oito municípios para mobilizar colegas para eventual paralisação.

    – Yeda prometeu dobrar o salário dos soldados e fica aumentando o dos que já ganham bem mais. É um deboche – explicou o soldado.

    Outros setores também exigem aumento. O chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, receberá técnicos-científicos para discutir o assunto no dia 4.

    VEJA MATÉRIA NA ZERO HORA

    ResponderExcluir