sábado, 20 de junho de 2009

MAIS UM PROBLEMA DA SEGURANÇA PÚBLICA ... CONFLITOS ENTRE POLICIAS CIVIL E MILITAR - É POSSÍVEL UNIFICAÇÃO?

Clima tenso entre polícias Civil e Militar

O incidente em que policiais militares e civis desentenderam-se com armas em punho, na terça-feira à noite, em Lages, na Serra Catarinense, expôs ainda mais a rivalidade histórica entre as duas corporações em Santa Catarina.
.
O fato de Lages aumentou a animosidade entre os policiais civis e militares, acirrada no início da semana, quando o governo do Estado se preparava para enviar à Assembleia Legislativa o plano de cargos e salários da Polícia Civil.
.
Na ocasião, 40 coronéis da Polícia Militar (PM) exigiram melhorias salariais, o que retardou o andamento da reivindicação dos civis.Mas há outras razões para o atrito. Uma delas é o decreto 660, de 2007, do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), que permitiu aos policiais militares aplicarem os Termos Circunstanciados – procedimento utilizado pela autoridade policial para encaminhar os casos de menor gravidade aos juizados especiais criminais, que definem as penas.
.
Outra queixa dos policiais civis está na existência dos Serviços de Inteligência da PM nos batalhões espalhados pelo Estado, onde atuam os chamados P2 (policiais militares à paisana). Essas equipes atuam descaracterizadas em trabalhos de investigação, atribuição constitucionalmente definida como sendo da Polícia Civil.Na Capital, o descontentamento dos delegados é geral com a atitude dos coronéis da PM, que atrasou a questão dos cargos e salários.
.
Nos bastidores, delegados prometem trazer a público dossiês contra policiais militares envolvendo jogo do bicho e apreensões ilegais de objetos com infratores.Entre os delegados há pouca informação sobre o resultado da reunião de quarta-feira à noite, em Lages, entre a cúpula das polícias Civil e Militar sobre o episódio entre os subordinados (veja as duas versões na página ao lado).
.
Um dos temas discutidos envolve o carro dos militares, que estaria com placas irregulares, conforme acusou o delegado de Lages César Talon.Associação de delegados pede paciência às partesO delegado-geral da Polícia Civil, Maurício Eskudlark, afirmou ontem que obteve na reunião a garantia do comando da PM de que o veículo usado pelos militares é um carro oficial e as placas são de segurança (próprias da polícia), por isso não constam no sistema.
.
Para o delegado, faltou bom senso entre as partes.O comandante-geral da PM, coronel Eliésio Rodrigues, não dá detalhes do que aconteceu na Serra. O coronel garantiu que os fatos serão apurados e que o desentendimento não vai perturbar o relacionamento das polícias.– A nossa orientação é conversação e parceria – comentou.A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão pretende retomar nas próximas semanas as operações integradas no Estado.
.
O secretário Ronaldo Benedet reuniu-se ontem, durante mais de três horas, com coronéis da PM, em Florianópolis. Os oficiais apresentaram a ele uma proposta de reajuste salarial. Em entrevista à Rádio CBN/Diário na manhã de ontem, Benedet afirmou que o fato ocorrido em Lages foi lamentável e reconheceu que pode ter sido consequência de disputas históricas entre as polícias.
.
A delegada Sonêa Ventura Neves, presidente da Associação dos Delegados de Polícia em Santa Catarina, pediu paciência à categoria em nota divulgada na rede interna de e-mails dos policiais civis. Ela definiu o momento como tenso e de descontrole emocional e apelou para que as situações jamais terminem em confronto. A delegada afirmou que confia na palavra do governador Luiz Henrique na defesa do plano de cargos.Mestre em Ciência Jurídica, a professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) Marciane Zimmermann Ferreira classificou o conflito entre as polícias de inaceitável.
.
Para ela, o interesse público deve prevalecer diante das divergências corporativas.– O cidadão é o destinatário final do serviço público e ninguém se sentirá seguro vendo um conflito entre quem deveria protegê-lo – opinou.O desentendimento em Lages teria começado quando a PM investigava um caso de extorsão.

3 comentários:

  1. Prezados amigos
    Há muito venho lendo e vendo o que tem acontecido no Brasil com relação aos nossos políticos. Não passa um dia sem que haja uma denuncia de atos de corrupção, falta de ética, e imoralidade por parte de nossos governantes.
    O Presidente Lula recentemente em defesa do Senador José Sarney definiu que no Brasil existem dois tipos de cidadãos. Aqueles para os quais não existe lei ou Constituição e os demais que estão submetidos aos rigores da lei.
    Aqueles que sofrem nas filas do SUS, ficando internados em macas nos corredores dos hospitais e aqueles que se tratam nos melhores hospitais do país com a melhor equipe médica. Em ambos os casos o contribuinte paga.
    É chegada a hora de parar de reclamar e partir para a ação antes que seja tarde demais.
    Minha proposta e que comecemos em conjunto a pensar numa ação coordenada para o dia 7 de setembro de 2009. É o dia em que comemoramos a independência de nossa pátria, a libertação de nosso povo. Não há momento melhor do que este para um protesto contra a pouca vergonha, os desmandos do governo e o fato de que pouco a pouco estamos perdendo nossa liberdade e democracia.
    Sugestões para o email laguardia,luizf@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. PMs doarão sangue em um protesto simbólico


    Cerca de 100 policiais militares prometem realizar amanhã - Dia do Soldado - a primeira de
    uma série de manifestações para chamar a atenção das autoridades e da sociedade sobre a
    questão salarial e de trabalho. Batizado de “PM no Limite”, o movimento vem ganhando a
    adesão de praças (soldados, cabos e sargentos) e de oficiais de médio escalão (tenentes e capitães) dentro da tropa da Polícia Militardo Ceará.
    A primeira manifestação, segundo informações que estão circulando na internet, revela
    que os militares farão uma doação de sangue no Hemoce. Será umato simbólico, onde todos os
    militares estarãousandocamisetascoma inscrição“PM no Limite”. Nasemanapassada, praticamente
    todos os 46 deputados estaduais receberam e-mail sobre o movimento. Alguns já manifestaram
    apoio à classe. As camisetas, que irão simbolizar o movimento vêm sendo vendidas, desde asemanapassada, em uma loja estabelecida no Centro da cidade. A reportagem do Diário do Nordeste apurou que mais de uma centena de PMs já adquiriu as camisas.
    Eles, inclusive, tiveram que apresentar sua identidade militar nahora da compra.
    Na tarde de ontem, o major PM Marcus Costa, chefe da Quinta Secção do Comando-Geral
    da corporação (setor de relações públicas e Imprensa), informou ao Diário que, oficialmente,
    oComandonão tem conhecimento de nenhum movimento em nível local. “O que sabemos
    é que há um movimento nacional se articulando e encaminhando e-mail para todos os
    Estados, falando da questão dos salários”, explica. “Esse movimento escolheu o Dia do Soldado
    porque para nós é uma data emblemática”, completou.
    Salários
    Os veteranos policiais militares do Ceará reclamam não apenas dos baixos salários, mas, principalmente, da diferença de tratamento que vêm recebendo do Governo do Estado em relação
    aos militares recém-ingressos na corporação para compor os quadros do programa Ronda do
    Quarteirão. PMs já na ativa há mais de 10 anos, como soldados e cabos, afirmam que seus salários estão abaixo do que os novos militares recebem. Um soldado do Ronda, que atua no
    turno “C” (das 22 às 6 horas) tem salário superior a R$ 2 mil, praticamente, o mesmo vencimentodeumsegundo-tenente. Além da questão salarial, os militaresreclamam de vários aspectos no setor operacional, principalmentedarigorosa escala de serviço que tem deixado
    muitos doentes. Em matéria especial publicada no dia 22 de junho último,oDiáriodo Nordeste
    revelou a insatisfação da tropacoma carga horária.
    EmFortaleza, os militares trabalham até 44 horas por semana. Já no Interior do Estado,
    essa jornada supera as 90 horas semanais. Ouvido pela reportagem, o líder do governo na Assembléia Legislativa, deputado Nélson Martins, admitiu o problema, mas afirmou que a solução
    somente aconteceria quando houvesse o ingresso de novos policiais na corporação, através
    de novo concurso para o Ronda do Quarteirão. Na semana passada, 48 candidatos que participaram do último concurso do Ronda, cuja situação estava “sub judice”, foram convocados
    para oserviço depois quea Justiça reconheceu os seus direitos.
    Eles já foram submetidos a examede avaliação física e deverão estar nas ruas em breve. Todos
    já haviam se submetido ao curso de capacitação profissional.
    Expansão
    O movimento “PM no Limite” vem se expandido por vários Estados brasileiros. Através do
    Projeto de Emenda Constitucional de número 300 (oPEC 300), as associações dos policiais militares pressionam os congressistas a aprovar a emenda que vai possibilitar a equiparação salarial de todos os PMs do Brasil com os vencimentos que são pagos aos policiais militares do
    Distrito Federal. No DF, o salário de um soldado de 2ª Classe (menor patente) R$ 3.031,38, enquanto o soldo de um coronel (maior patente) chega a R$ 15.335,85. No Ceará, o vencimento deumsoldado “comum” (não pertencente ao Ronda)éR$1,4 mil.

    ResponderExcluir
  3. A verdade é o seguinte, a CORRUPÇÃO anda solta e o corporativismo também. Ambas as policiais precisam CUMRIR o disposto no artigo 37 da CF/88. E ter a hombridade de punir os seus policiais quando errados e não tentar jopgar a culpa na outra policia. O probelma maior que estamos tendo é AVOBERTAÇÃO de Crimes de PEDOFILIA por parte da Irmandade MAÇONICA. só no Estado de são Paulo, temos vários casos envolvendo Irmãos da MAÇONARIA que estão sendo beneficiados pelo esquema MAÇONICO. Ou seja autoridades policiais e até judiciárias tentam a todo preço defender seus irmãos maçonicos. Em CATANDUVA/SP - Duas Delegadas são acusadas de ajudar, cometer falhas propositaais, para beneficiar MEDICOS e EMPRESÁRIOS MAÇONS. Em BAURU/SP o Advogado PEDÓFILO também é da MAÇONARIA. Em, SANTA FÉ DO SUL/SP - Um cartorário (PODER JUDICIÁRIO) TAMBÉM MAÇON recebeu a ajuda de autoridades, que cometem falhas propositaris para beneficiar o criminoso; além de obrigar as VÍTIMAS, filhas de MAÇON a OMITIREM os crimes para beneficiar o Irmão pedófilo. CADÊ A JUSTIÇA desse país, que não vê isso?

    ResponderExcluir