sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

A CRUEL REALIDADE DO CORPO DE BOMBEIRO DE MT

FOTO JOSÉ LUÍS LARANJA Secretaria de Comunicação

O TC BM CRUZ apresentou relatório da real situação do Corpo de Bombeiro de Mato Grosso, demonstrando o descaso do governo e de outros servidores público para com a sociedade.

.

PARABÉNS, CORONEL CRUZ, PELA DEDICAÇÃO, POR EXPOR A VERDADE, PELA CORAGEM DE ENFRENTAR O SISTEMA, SEM MEDO DAS REPRESÁRIAS QUE HÃO DE VIR.

É DESTE TIPO DE OFICIAL QUE O CORPO DE BOMBEIROS DE MT PRECISA.




Veja notícia abaixo retirada do site da Assembléia Legislativa de MT.



AUDIÊNCIA PÚBLICA

Assembléia debate atuação dos Bombeiros em Mato Grosso
Audiência Pública mostra a realidade da corporação no interior. Efetivo necessita de mais homens e equipamentos para fazer a segurança à população

A Assembléia Legislativa debateu ontem (08), a atuação do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) nos municípios de Mato Grosso. A audiência pública foi requerida pelo deputado Sebastião Rezende (PR) e contou com as presenças de comandantes de várias Companhias do interior, além do comandante geral da corporação, coronel Arilton Azevedo Ferreira e o secretário adjunto de assuntos estratégicos da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Alexandre Bustamonte.
.

Ao final a corporação cobrou aumento do efetivo no Estado, realização de concursos públicos (há quatro anos não acontece) e recursos na ordem de R$ 6 milhões para inclusão das necessidades.
“Este é um momento oportuno para discutir e ouvir dos Bombeiros e Sejusp as alternativas para melhorarmos as condições da corporação no estado”, argumentou o parlamentar.
.

Dados do CBM-MT mostram que atualmente, o efetivo da corporação conta com 930 homens em todo o estado. “Pelo crescimento do Estado e dos municípios, Mato Grosso necessita contar com 3.500 homens trabalhando”, alerta o coronel Arilton Ferreira. Somente para Várzea Grande e Cuiabá, o Corpo de Bombeiros conta com 230 homens, um número considerado baixo pela corporação.
.

“Precisamos muito desta Casa (Assembléia), para podermos atingir nossas metas, que são os salvamentos”, disse o comandante geral do CBMT. Durante a audiência pública foi mostrado ainda Lucas do Rio Verde é considerada a região mais precária do Estado em termos de estrutura de equipamentos e falta de efetivo, onde possui apenas cinco homens para prestar serviço. “Necessitamos de mais homens para cobrir centros importantes”, cobrou o diretor de atividades técnicas do CBM-MT, coronel Sidney Faria.
.

No entanto, o secretário adjunto da Sejusp, adiantou que o Governo do Estado investiu parte dos recursos na aquisição de equipamentos, que parte deles, será entregue ainda neste ano e, a outra para 2009. “Foram aplicados 13 milhões de reais na compra de equipamentos e no trabalho de toda a corporação”, falou Bustamonte, acrescentando ainda que, serão realizadas concursos públicos para todas as categorias da Sejusp.
.

De acordo com o deputado, com o desenvolvimento e crescimento econômico do Estado, surge a necessidade de maior estruturação dos aeroportos para o trânsito de pessoas com relações comerciais ou turísticas nos municípios.
.

Na oportunidade, os comandantes de cada região do interior colocaram a realidade de suas companhias. Sebastião Rezende espera colaborar com o Governo do Estado, através de um documento, mostrando as sugestões ao governador Blairo Maggi, com o objetivo de melhorar o Corpo de Bombeiros em Mato Grosso. “Várias regiões sentem a falta de segurança no setor, por isso, defendo a instalação preventiva de companhias nesses municípios”, ressalta o deputado.
.

O Corpo de bombeiros de Mato Grosso completou 44 anos de existência no Estado. A corporação foi criada em 1964 destinada ao serviço de extinção de incêndio e salvamento, fazendo parte da Polícia Militar por 30 anos até a sua emancipação administrativa e financeira.
Durante as três primeiras décadas de trabalho, o Corpo de Bombeiros passou por períodos de sérias dificuldades operacionais, por falta de estrutura, como a "Fase do balde" (1983-1984) que rendeu materiais para os chargistas e jornalistas da imprensa cuiabana.
.

Naquela época as ocorrências começaram a ser atendidas com uma viatura C-10, dois baldes, algumas mangueiras velhas, garra e boa vontade dos bombeiros que jamais deixaram de cumprir o seu papel com a melhor qualidade possível.
.

Em 1987, Barra do Garças foi o primeiro município do interior do Estado a ser contemplado por uma Unidade do Corpo de Bombeiros, sendo o precursor para a interiorização da instituição que acontece hoje.
.

Nas explicações da real situação do interior, o tenente-coronel, Álvaro Cruz, responsável pelo interior, citou muitos fatos que aconteceram em companhias de municípios interioranos. “Muitos homens trabalham estressados e isso prejudica o condicionamento no dia-a-dia”, destacou Cruz.
Para suprir a necessidade emergencial, a corporação acredita que precisa de mais 500 homens para cobrir as reivindicações de trabalho. “De imediato, temos que levar essa proposta ao governador, através de emendas parlamentares”, admitiu o deputado Wagner Ramos (PR).

Mais informações: Secretaria de Comunicação da AL Fones: 3901-6310

Nenhum comentário:

Postar um comentário