quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Mais um policial é morto em Salvador

Mais um policial é morto em Salvador

O soldado da Polícia Militar Evandro dos Santos Brito, de 33 anos, foi o terceiro policial militar a ser executado, em menos de uma semana, em Salvador. O crime aconteceu na Rua Direta de Nova Brasília, ontem, por volta das quatro horas da tarde, próximo ao local onde o PM morava. Cerca de 12 homens encapuzados chegaram atirando em três carros, um Ford modelo EcoSport de cor cinza, um Ford Fiesta na cor prata e outro veículo não identificado. Brito, que deixou mulher e três filhas, sendo uma recém-nascida, foi atingido por 12 tiros, a maioria na cabeça.
.
O PM, que era lotado na 18º Companhia Independente e trabalhava na polícia há cerca de 11 anos, estava acompanhado por outro colega no momento dos disparos. Ambos estavam à paisana e em dia de folga. O colega do PM executado conseguiu fugir jogando-se em um barranco. O major da PM Elsimar Freitas de Alcântara atribui a motivação do crime à ação de traficantes da região, que teriam marcado Evandro Brito.
.
“Há cerca de dois meses, ele tinha chamado a atenção de uma mulher do grupo deles, de prenome Eliana, porque ela estava traficando no bairro. Depois disso, ele passou a receber constantes ameaças de morte”, conta o major.Por volta das 18 horas de ontem, a polícia havia localizado Eliana na invasão conhecida como Planeta dos Macacos, no bairro de São Cristóvão. De acordo com informações da polícia, Eliana faz parte do grupo de traficantes composto por Dieguinho, que seria o líder, Edcarlos, Jackson e Marcelo Barba.
.
O irmão de Evandro Brito, Fábio Brito, estava chegando do trabalho no momento em que o crime aconteceu e viu tudo. “Eles chegaram atirando, fizeram o retorno e subiram disparando para todos os lados. Eu corri para dentro, porque pensei que eles queriam me matar também. A família toda sofre ameaças aqui. A gente vai se mudar desse bairro”, conta ele. A mulher do PM ficou em estado de choque e não deu declarações.
.
O diretor da Associação Nacional dos Praças e Soldados da Polícia Militar, Marco Prisco Caldas Machado, criticou a ação da Secretaria de Segurança Pública. “Se eles não derem uma resposta, nós vamos dar. Nós temos meios para isso”, ameaçou. O secretário de Segurança Pública, César Nunes, falou sobre os homicídios de PMs durante a semana. “Ainda estamos apurando as motivações das mortes dos militares. Trabalhamos para que os crimes sejam totalmente esclarecidos”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário